Cerveja no tanque do carro? Mas que loucura é essa? Já vi o pessoal brincar de “abastecer o carro” com destilados e até mesmo com Barleywine ruim, mas parece que a brincadeira agora foi levada à sério…

A cervejaria Neozelandesa DB Export, fundada em 1930, acaba de ter uma sacada extraordinária: produzir um biocombustivel à partir das sobras de produção de cerveja!

Uma parceria entre a cervejaria e a distribuidora de combustíveis resultou em um combustível feito com extração de álcool dos sedimentos sólidos que sobram após a produção/fermentação, principalmente os grãos e as leveduras.

Cerveja no tanque do carro

É óbvio que nesta fase ninguém quer revelar o que e como exatamente é feito, mas nada mais é do que nós, brasileiros, estamos acostumados a colocar nos nossos carros: é a mistura de álcool à gasolina, porém com o álcool saindo de outra fonte (aqui é normalmente álcool de cana de açúcar), ou seja, nada mais é do que a mistura de 10% de álcool e 90% de gasolina.

Cerveja no tanque do carro

Segundo Sean O’Donnell, gerente de mkt da cervejaria,

Identificamos a oportunidade de aproveitar as sobras do processo de fabricação em algo que pode ajudar o ambiente

Chamada de Brewtoleum, o novo combustível emite 8% menos carbono e oferece o maior índice de octanagem entre os combustíveis disponíveis por lá, 98 octanas, igual nossa Podium que encontramos nos postos BR.

Cerveja no tanque do carro

A Gull é pioneira em oferecer combustíveis provenientes de “sobras” de produções diversas. Desde 2007 já são oferecidas gasolinas baseadas em leite de vaca e óleo de cozinha.

Se me permitem, as cervejarias brasileiras poderiam pensar em montar uma cooperativa para “agrupar insumos”, gerar volume e produzir algo semelhante em parceria com alguma distribuidora de combustíveis. Além de, óbvio, ajudar a proteger a natureza, seria um baita argumento para pleitear as tão sonhadas reduções de impostos.

Cerveja no tanque do carro

O primeiro lote da Brewtoleum rendeu 300 mil litros, já suficiente para testes e homologação/produção em larga escala.

Essa história me fez lembrar meu amigo Thiago que “abastecia” suas cabras com bagaço da cervejaria Lund aqui de Ribeirão Preto – SP e produzia o melhor queijo de cabra que já pude provar, os queijos Caprilli.

Cerveja no tanque do carro

Ah sim: as cervejas nem são aquela maravilha toda, são todas do estilo Pale Lager (aka igual a Heinenken e sim apesar da revista, Heineken não é Pilsner) e pertence ao conglomerado Heineken Asia Pacific, mas são honestas e corretas.

Agora pergunta ai pro seu carro: Quer um gole de cerveja?

Veja o vídeo institucional e entenda mais o processo (em inglês):

Saúde!

Cerveja no tanque do carro?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *